DEMANDAS DE JOVENS PESQUISADORES E PROFISSIONAIS DE RECURSOS HÍDRICOS POR UMA REDE BRASILEIRA DE BACIAS EXPERIMENTAIS

DEMANDAS DE JOVENS PESQUISADORES E PROFISSIONAIS DE RECURSOS HÍDRICOS POR UMA REDE BRASILEIRA DE BACIAS EXPERIMENTAIS

A Comissão Técnica Jovem da ABRHidro ressalta a demanda dos jovens
pesquisadores e profissionais em recursos hídricos pela criação e manutenção de uma rede de
comunicação entre pesquisadores e profissionais que atuam em bacias experimentais e

representativas no Brasil. Esta manifestação é motivada pelo interesse de jovens
pesquisadores e profissionais em participar e contribuir com o desenvolvimento e manutenção
da rede proposta. Estas informações foram obtidas através de uma enquete realizada através
das mídias sociais da CT Jovem, entre os dias 18 e 20 de maio de 2022. A enquete teve a
resposta de 12 participantes, distribuídos entre os estados de Pará, Paraíba, Minas Gerais,
Paraná, São Paulo, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.
A criação de uma rede de bacias experimentais surge da necessidade de um espaço
onde se possa compartilhar informações, dados e experiências entre pesquisadores, gestores
e demais profissionais na área de recursos hídricos. Neste espaço seria possível o
cadastramento de bacias experimentais e representativas existentes, contendo o tipo de
monitoramento realizado, descrição do local e contato de responsáveis. Uma plataforma
abrangente, que permita a incluir parâmetros qualitativos e quantitativos da água superficial e
subterrânea, além de dados climatológicos como a precipitação e evapotranspiração. A
disponibilização de dados consistentes, bem como códigos (scripts) e arquivos SIG, permitirá a
reprodução e revisão por pares de experimentos conduzidos, pilares da produção do
conhecimento científico.
A elaboração de manuais de operação, coleta e organização dos dados, permitiriam a
construção de bancos de dados padronizados, abertos e de acesso público. Estes manuais
devem orientar o estabelecimento de parâmetros mínimos de confiabilidade, informar os
instrumentos utilizados, e demais detalhes que venham a interferir nos resultados. Além de
séries históricas e manuais, recomenda-se incluir artigos publicados fruto do trabalho
experimental nessas bacias, como uma forma de fomentar e valorizar o trabalho produzido.
É de interesse dos jovens pesquisadores e profissionais da área de recursos hídricos
uma seção fixa no Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, assim como realização de uma
seção especial da Revista Brasileiros de Recursos Hídricos, direcionada a pesquisas em
bacias experimentais. Estas ações permitirão ter um panorama dos trabalhos realizados no
Brasil e o incentivo de pesquisadores já estabelecidos a participarem da Rede de Bacias, assim
como da criação de novas bacias experimentais. Além disso, a ABRHidro através da CT-Jovem
poderia contribuir com a divulgação da importância e oportunidades de espaços para
compartilhamento de informações e experiências; buscar pleitear editais para estabelecimento
de redes financiadas; incentivar os professores orientadores em programas de pós-graduação
da área a implantar tais redes de monitoramento em suas regiões; promover palestras e
tutoriais de softwares e metodologia de tratamento dos dados disponibilizados, sugerindo
aplicabilidade em estudos; além, é claro, incentivar instituições parceiras (que contribuem para
a manutenção da rede) e na submissão de artigos.
Os maiores desafios apontados foram a necessidade de recursos financeiros perenes
para a manutenção das estruturas de monitoramento, capacitação dos responsáveis e
realização de atividades de campo. Também ressaltamos a necessidade de definir a
responsabilidade quanto à atualização dos dados, verificação da qualidade e manutenção do
servidor. Outro desafio importante consistiria na mobilização do pessoal que de alguma
maneira já trabalha com as bacias experimentais, ou o engajamento de mais pesquisadores
nas atividades de monitoramento, pois no Brasil, grande parte dos pesquisadores migraram
para áreas da gestão, planejamento e sensoriamento remoto, por requerem poucos recursos
financeiros.