Empresa catarinense instala primeiro equipamento brasileiro de medição de dados atmosféricos na Antártica

Empresa catarinense instala primeiro equipamento brasileiro de medição de dados atmosféricos na Antártica

A empresa catarinense Dualbase instalou o primeiro equipamento de medição de dados atmosféricos com tecnologia 100% brasileira.

A oportunidade chegou para os catarinenses em 2019, mas os pesquisadores  do Núcleo de Pesquisa Terrantar da Universidade Federal Viçosa (UFV), estudam o solo da Antártica há mais de 18 anos.

O Terrantar faz parte do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia da Criosfera, que reúne pesquisadores brasileiros que realizam estudos no Programa Antártico Brasileiro (Proantar). Na maioria das vezes as pesquisas são feitas na região da Estação Antártica Comandante Ferraz, uma base brasileira na Ilha do Rei George. Os pesquisadores do Terrantar mantêm aproximadamente 40 pontos com sensores na região. Antes da instalação da tecnologia com transmissão via satélite, os dados eram coletados anualmente, quando ocorriam as viagens ao continente.

A empresa aproveitou a oportunidade para levar um equipamento próprio, uma estação meteorológica que mede a temperatura, a umidade relativa do ar, a radiação solar e a pressão atmosférica. Os dados são transmitidos via satélite e via rede celular 3G disponível no local. São abertos e podem ser acessados pela internet.

Tudo é feito de forma automática, sem a necessidade de um profissional ir até os pontos de coleta. No entanto, uma equipe permanece de prontidão para fazer a manutenção preventiva, limpar os equipamentos e calibrá-los, e também para corrigir quando há falhas.

Os empresários se orgulham muito do trabalho. “Foi um desafio interessante. Poucas empresas têm a possibilidade de colocar equipamentos num lugar tão extremo”, relata Felipe Jahn, CEO – Presidente da Dualbase.

“Nossos equipamentos são desenvolvidos para funcionar de menos 40 a 70 graus. Só que isso é testado em laboratório. Nunca tínhamos tido a oportunidade de nos colocar em uma condição real e em tanto tempo. A equipe tem um sentimento de orgulho. É a primeira estação 100% fabricada por brasileiros a funcionar na Antártica”, finaliza Jahn.