NOTA DE PESAR

NOTA DE PESAR

HOMENAGEM

Pesar pelo falecimento do professor Baptista

A Associação Brasileira de Recursos Hídricos – ABRHidro,consternada pela perda do professor Márcio Benedito Baptista, no último dia 23 de junho, em nome da comunidade da água, solidariza-se com a família, amigos e colegas do profissional. Baptista foi vice-presidente da ABRHidro na gestão de José Almir Cirilo, coautor do livro Hidráulica Aplicada, publicado pela Associação e contribuiu de forma brilhante com a instituição.

Para o professor e ex-presidente da ABRHidro José Almir Cirilo, Márcio Baptista foi um pesquisador e professor notável, além de um gentleman no trato com as pessoas. “Ele deixou um enorme legado para o conhecimento técnico-científico nas ciências das águas e na formação de pesquisadores”.

Já o professor Nilo de Oliveira Nascimento, do Departamento de Engenharia Hidráulica e Recursos Hídricos da UFMG, afirmou em nota, transcrita na íntegra abaixo, que Baptista “inovou e abriu caminhos em várias áreas de conhecimento, notadamente o manejo de águas pluviais, os estudos sobre inundações e seus impactos socioeconômicos, a recuperação ambiental de cursos d’água e pesquisas sobre ruptura de barragens e seus impactos”.

Márcio Baptista nasceu em 1953 e, desde 1991, atuava como professor Departamento de Engenharia Hidráulica e Recursos Hídricos da Escola de Engenharia da Universidade Federal de Minas Gerais. Além da extensa trajetória acadêmica, o engenheiro também publicou diversos livros e se dedicou às ações em prol do saneamento. Um memorial online foi criado para as demonstrações de carinho e consolo e, posteriormente, será encaminhado aos familiares: https://www.mykeeper.com/profile/MarcioBaptista/

 

O testemunho do colega Nilo de Oliveira Nascimento

 

“A comunidade de hidráulica e de recursos hídricos brasileira perdeu, hoje, um colega da mais alta expressão nacional e internacional, o professor Márcio Baptista. Sua significativa contribuição contempla todas as nossas áreas de atividade : os livros didáticos dedicados ao ensino de graduação, os artigos científicos, os livros e coletâneas que resultaram de uma intensa atividade de pesquisa colaborativa e de formação de pesquisadores, em redes brasileiras e internacionais, o engajamento com as atividades associativas na ABRHidro, em organização de eventos, notadamente o Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos e o Encontro Nacional de Águas Urbanas, sua permanente colaboração com a RBRH e sua contribuição para a gestão da Associação. Um perfil completo de profissional de engenharia e acadêmico, uma rica fonte de conhecimentos oriunda de uma variada experiência, do projeto de engenharia e da engenharia consultiva à pesquisa científica, das políticas públicas e planejamento, nas interfaces entre recursos hídricos, desenvolvimento urbano, recuperação e proteção ambiental, à administração acadêmica. Inovou e abriu caminhos em várias áreas de conhecimento, notadamente o manejo de águas pluviais, os estudos sobre inundações e seus impactos socioeconômicos, a recuperação ambiental de cursos d’água e pesquisas sobre ruptura de barragens e seus impactos. Abriu caminhos para um incontável número de estudantes e jovens profissionais e, por meio de seus intensos contatos nacionais e internacionais, contribuiu para descortinar novos temas de pesquisa e criar oportunidades para a formação de profissionais de engenharia e de pesquisadores. Uma pessoa aberta para a vida, com grande capacidade de diálogo, um interlocutor inteligente, interessado pela política, literatura, cinema, música, gastronomia, sobretudo atento às pessoas e às amizades. Nós, na UFMG, como colegas de Departamento e amigos, sentimos profundamente essa perda, um sentimento em comum com a comunidade de recursos hídricos do Brasil e com inúmeros colegas no exterior. Pessoalmente, tive a oportunidade de colaborar com o Márcio desde a época de nosso doutoramento. Anos de diálogo, de troca de ideias e de trabalho conjunto em que me beneficiei de seus conhecimentos e experiência profissional e de vida. Sinto como uma grande perda, na certeza de que compartilho com os colegas da UFMG e da ABRHidro o privilégio da convivência que tivemos com o Márcio por todos esses anos.”